Principal
Principal
CIÊNCIA A SERVIÇO DA COMUNIDADE
Trabalhos de Conclusão de Curso de estudantes de Engenharias Civil e Ambiental da Unipac mapeiam áreas de risco em Ipatinga e apontam soluções

I001919.jpg

O desenvolvimento de pesquisas científicas durante a graduação é um importante aliado na formação do aluno. Mas a bagagem deste futuro profissional fica ainda mais rica se, durante a graduação, ele tem a oportunidade de ver os resultados de sua pesquisa acadêmica saírem do papel e beneficiar centenas de pessoas. É assim que graduandos e professores dos cursos de Engenharias Civil e Ambiental da Unipac têm trabalhado em prol de uma formação completa deste profissional.

Os trabalhos em questão são um desdobramento de uma ampla pesquisa científica, iniciada em 2011, que mapeou e detalhou as principais áreas de risco em Ipatinga. Cerca de 300 alunos das disciplinas de Geotécnica Ambiental e Mineração, (6º período do o curso de Engenharia Ambiental) e Mecânica dos Solos (6º e 7º períodos da Engenharia Civil) participaram deste projeto, que incluiu desde visitas técnicas à geração de laudos e relatórios completos das áreas pesquisadas.

Agora, as informações coletadas estão servindo de base para diversos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), em que os alunos da Unipac buscam apresentar informações e alternativas para auxiliar o poder público na elaboração de projetos de infraestrutura. O objetivo destes alunos é ir além da aprovação final na graduação: é usar o conhecimento adquirido na Unipac em prol da comunidade, neste caso, na redução das perdas sociais e econômicas, comumente registradas nas áreas de risco pesquisadas, sobretudo, no período chuvoso.

Este é o caso de Stênio Bruno Lobo e suas colegas de graduação em Engenharia Ambiental – Naiara Nascimento, Cleuciane Sanches e Sheila Drumond. Após a aprovação do trabalho “Análises das áreas com pré-disposição à Movimentação de Massa no Município de Ipatinga”, apresentado no último dia 26, os egressos esperam que as informações do TCC sejam utilizadas para ações preventivas e projetos de infraestrutura nas áreas de risco detalhadas. O TCC dos recém-formados engenheiros ambientais da Unipac traz desde a análise da presença de vegetação ao tipo de ocupação e movimentação do solo.

“Em nossa pesquisa, observamos que a defesa civil, em geral, atua depois que o evento já ocorreu. Muitas vezes, devido à falta de informações detalhadas sobre a área em questão”, justifica o egresso, que agora prepara o detalhamento das informações para fornecê-las à Defesa Civil de Ipatinga. Os alunos também já estão trabalhando na produção de um artigo em revista especializada e ainda pretendem apresentá-lo como pré-projeto para proposta de mestrado.

DEFESA CIVIL

Inicialmente, o objetivo da pesquisa era promover o treinamento de campo dos futuros engenheiros da Unipac, como explica o professor Lucas Martins Guimarães, doutorando em Geotecnia pela UFV (Universidade Federal de Viçosa) e coordenador do projeto. No entanto, à medida que a pesquisa aprofundava, a teoria aprendida se mostrava bastante útil para resolver os problemas reais, entre eles, os prejuízos decorrentes da ocupação do solo sem o devido planejamento, como observado em Ipatinga e outras tantas cidades, cuja expansão demográfica ocorreu de maneira desordenada.

Em um ano de pesquisas, o trabalho apresentou uma síntese dos 65 taludes vistoriados. Gráficos e um mapa de Ipatinga com graus de risco por bairro e informações detalhadas foram desenvolvidos pelos estudantes da Unipac. Segundo o docente Lucas Martins Guimarães, uma cópia do estudo será encaminhada para Defesa Civil de Ipatinga. “O banco de dados disponibilizado certamente contribuirá de forma considerável para ações emergenciais em determinadas épocas propícias a eventos naturais extremos, junto à defesa civil”, conclui o coordenador da pesquisa inédita realizada pela Unipac.

ÁREAS DE RISCO

Conforme o estudo, os bairros mais suscetíveis à movimentação de massa (riscos de desmoronamento e desabamento) são: Canaã e Iguaçu (risco muito alto) e Bethânia, Caravelas, Chácara Madalena, Esperança, Vila Celeste, Granjas Vagalume (risco alto). Ainda conforme Lucas Guimarães, a informação gerada após o estudo será de suma importância para subsidiar a tomada de decisões pelos órgãos responsáveis, seja através de investimentos em projetos urbanísticos a campanhas de conscientização ambiental das populações inseridas nas localidades de risco iminente.

NÚCLEO DE ENGENHARIA

A pesquisa sobre as áreas de risco em Ipatinga é apenas um dos trabalhos de extensão e pesquisas desenvolvidos pelo Núcleo de Engenharia da Unipac, o mais bem conceituado da região pelo Ministério da Educação (MEC). Em uma escala de pontuação máxima de 5 pontos, os cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia Civil e Engenharia Química da Unipac Ipatinga obtiveram nota 4. O curso de Engenharia de Produção também teve reconhecimento e qualidade atestada com nota 3. Com este resultado, a Unipac firma-se como a instituição de ensino com o melhor Núcleo de Engenharia do Vale do Aço.
 

Fonte : Assessoria de Comunicação


Faculdade Presidente Antônio Carlos - Unipac Vale do Aço
Ipatinga - Rua Salermo, 299 - Bethânia - Tel: (31) 2109-2300 - 0800 724 23 00
Timóteo - Av. Ary Barroso, 765 - Serenata - Tel: (31) 3849-9150


Eventos do M�s